in Cartas abertas

Déjà vu

Esse texto é uma adaptação de um post que fiz no Facebook. Mais organizado e com mais informações. Tudo aqui apareceu quando assisti a um vídeo de um canal literário americano falando sobre os canais maiores. Falando sobre como só eles possuem atenção. Sobre como é enjoativo ficar ouvindo sempre as mesmas respostas quando a pergunta é “qual o seu booktuber literário favorito?”. Sobre como eles nunca respondem aos meus comentários ou mensagens. Aproveitei e coloquei mais coisas que poderão responder a perguntas como “por que meu canal não está crescendo?”, “meu canal é bom?” e “me ajuda a divulgar?”.

Vamos lá.

1) Canais maiores atraem mais inscritos. O motivo é tão simples. Quanto mais inscritos, maior é a chance de compartilhamento dos vídeos. Maior a chance de alguém ver. É uma conta simples e funciona juntando “qualidade + quantidade”. Faça seus vídeos com qualidade, dando atenção e melhorando. É visível o quanto melhorei em um ano. É risível ver o quão ruim os primeiros vídeos eram. Ainda bem que tudo melhora. Veja os vídeos. Vá até os canais literários que você gosta e procure pelos vídeos antigos.

Foque em passar o seu conteúdo de forma clara, dando realmente a sua opinião e não ficando só na sinopse ou 3 minutos mostrando o quão bonito um livro é. A menos que seja edição especial… Há tantas exceções. Use o bom senso. Essa dica dou de graça.

E, bem, quantidade. Preciso repetir alguma coisa?

2) “Ah, mas estou de saco cheio de sempre falarem dos mesmos booktuber famosinhos quando pergunto ‘qual seu booktuber favorito?'”. Ok. Gosto não se discute. Mas, ignorando isso, a razão pode ser simples: ele não conhece outros canais; ou os que ele conhece não tem a qualidade do canal favorito. Resolva isso indicando canais que você goste.

Quando se conhece alguma coisa, gosta dela, desenvolve uma identificação, tudo o que vem depois será comparado à ela. Se não atingir as expectativas, será xingado, ignorado, ou qualquer outra coisa. Se superar, ou atingir o espectador de uma forma diferente, falando sobre um assunto abordado de forma diferente, poderá se tornar mais um favorito. Por isso há tantos fãs malucos. É engraçado como tudo funciona.

Eu, por exemplo, não consigo gostar logo de cara de nada que me apresentem. Preciso encontrar, muitas vezes ao acaso, para desenvolver gosto pela coisa. Vale para vídeos, músicas, filmes, etc…

3) Comentários. Sério mesmo? Receber mil comentários dia deve ser super rápido de responder, né? Nem que sejam cem. A atenção que cada inscrito merece fica complicada de ser dada quando os números aumentam. Se coloque no lugar dele. Porém às vezes, talvez não tenha sido a quantidade, mas a forma que você abordou ao fazer um comentário ou deixar uma mensagem. SEJA EDUCADO. Pelo amor de deus, não vá achando que há obrigação em responder, principalmente quando se chega “dando ordens”. Use “por favor”, “você poderia?”. Diga “oi”. Seja cortês. Converse, não peça.

Agora voltado para você que é booktuber. Não são regras. Há sempre uma escolha. Mas cada escolha tem uma consequência, boa ou ruim. A bola está em suas mãos.

4) Se você não cresceu ainda, mesmo tendo quase 100 vídeos publicados e alguns meses/anos no YouTube. O problema não está nos canais maiores. Não está na “falta de espaço” que supostamente existe. Ou você está fazendo alguma coisa errada, ou o seu publico, atraído pela forma como você expõe uma opinião, se expressa e reage a determinada situação, é pequeno mesmo. Lembra “qualidade + quantidade”? Por que você acha que “qualidade” vem primeiro? Pesquisa lá no Instagram a hashtag “#lfrshow“. Todos os meses eu tirava uma foto das estatísticas do canal para saber como ele estava crescendo.

Eu vejo TODOS os canais que se inscrevem no Show do Luan. Principalmente aqueles que tem vídeos publicados ou uma quantidade maior do que 50 inscritos (informações que aparecem no e-mail de notificação), e por mais que o assunto seja LIVRO (que eu amo, e dá pra notar), tem canais que eu só visito uma vez e não volto. Mas também tem canais que eu retribuo a inscrição porque GOSTEI do que foi dito. Gostei da forma abordada. Gostei da pessoa que aborda o assunto. Houve identificação. Ela não precisa ter uma câmera full HD, mas eu preciso enxergá-la ou ver o livro (se ela estiver mostrando). Ela não precisa ter um gravador externo que custe mil dólares, mas eu preciso ouvir com clareza o que ela está dizendo. Eu preciso entender a opinião dela.

E tem muitos outros fatores que podem conter o crescimento. Como resumir um livro com “muito bom, leia” (coisa que já fiz e que estou trabalhando). Não quero saber se você gostou ou não de um livro. Eu quero saber o motivo de você ter gostado. E tem o fator “acaso” também.

E é assim. Não é por que tem um canal literário com 100 mil inscritos que outros não devem existir (ou desistir). Há espaço de sobra, mas só se você fizer um bom trabalho.

Como consumidor, assisto de 5 a 10 vídeos literários por dia, com 5 minutos ou mais. Como booktuber, demoro até 7 horas para conseguir fazer um vídeo de 5 minutos ou mais (sem contar o tempo de leitura). Ou seja…

5) “Visita meu canal?”, “Me dá uma força pro meu canal?”. Delicado. É delicado lidar com pessoas, principalmente quando elas não percebem o quão inconveniente estão sendo. Se eu disser algo, posso ser interpretado errado e ser tachado de arrogante. Sim, será um prazer ver seu canal. Desde que você converse comigo. Desde que você saiba que usando “por favor” e “obrigado” as chances são muito maiores. Não me vejo como “padrão de qualidade”, mas, como consumidor, posso sim dar uma opinião e dizer o que não me agradou. E esse tópico é o mesmo que o 3, basicamente.

Como dito, não são regras. É quase como uma lista de acesso rápido, só para evitar a constante sensação de “déjà vu”.

  • Related Content by Tag