in Cartas abertas

Pontualidade

Hoje, notei que faz um ano que tive minha pior crise de depressão. Reparei por dois motivos: 1) este ano, tive outra mais leve, mas pelo exato período de tempo; 2) o Facebook me avisou.

Na verdade, hoje é o dia (no passado) em que me recuperei e lembro de ter saído de casa (por vontade própria) pela primeira vez. Foi uma conquista muito grande. Saí, cortei o cabelo, mudei o visual. A vaidade tem lá seus problemas, mas é uma ótima ferramenta contra as crises. O orgulho também, se bem dosado. É um dejavu real!

Dessa vez, a crise foi mais amena por causa da medicação. Sensação de apatia presente, só se afastando em períodos específicos, mas logo sendo preenchida por uma falta de energia que incomodava pra caramba. Não fui até o fundo do poço, porém afetou a produtividade, a autoestima, qualquer desejo que fosse diferente de ficar inerte na cama. Um mês e meio desse jeito. Yay.

Mas, vamos lá! Não lembro de ter tido algo parecido em 2014 e também não tenho registros disso. Será que toda essa aura foi desencadeada ano passado? Será que ela vai ser pontual aparecendo todos os anos no mesmo período?

Tomei consciência da mudança de tom que minha vida ganha quando a crise acaba. E é engraçado. Bom, o meu bolso não acha engraçado. Impulsivamente, acabo gastando bem mais do que o normal. É como misturar cápsulas de guaraná, café e uma dose generosa de energético. Canto o dia todo, arraso na dança e quero fazer tudo o que está atrasado. Extremos não são bons.

Se ela for tão pontual assim, já vou preparando o terreno pra 2017. E pesando em formas de proteger minha vida financeira.

Gostou desse texto? Ajude compartilhando nas redes sociais.
Você pode assinar minha newsletter também. Saiba mais clicando aqui.

Imagem: Celeste Hopkins

  • Lua Mariano

    Oi Luan, estou em tratamento há quatro anos. Esses dias não tem sido fácies, sinto que o controle tem escorregado das minhas mãos aos poucos, boa sorte e força.

    L. xx
    meumundodalua.com