in Cartas abertas

Escrever

Eu quero escrever. Quero colocar pra fora tudo o que aqui dentro faz mal. E eu faço isso, transformo o que me incomoda em contos e crônicas. Exploro a minha vida através dos olhos de personagens, realidades e contextos diferentes. Mas pra escrever não precisa de internet.

Não precisa expor os textos, pedir por likes e comentários nas redes sociais. Pintar a cara, se fazer presente, chamar a atenção para que alguém caia de paraquedas e descubra o que escrevi. Não precisa disso e não escrevo para isso.

Escrevo por mim, porque mexe comigo e ajuda quando nada mais resolve. É aquela coisa de fazer parte, de não conseguir parar, de não saber como acontece. E conforme venho fazendo isso, coloquei na internet e esperei. Descobri que esses tímidos textos ajudam outras pessoas.

Há identificação, elas entendem e passam por situações parecidas. Lutam contra seus lugares escuros, procurando algum jeito de sair. Algum jeito de conviver com aquilo que atormenta. De entender e saber como reagir.

Escrevo porque sei que isso me faz bem. Publico porque sei que, de alguma forma, isso vai fazer bem a outra pessoa também.

Gostou desse texto? Ajude compartilhando nas redes sociais.
Você pode assinar minha newsletter também. Saiba mais clicando aqui.

Imagem: Writing Forever