Tempestades #3

Oi, meu nome é Luan.

Agosto começou com o pé na porta. Estamos na metade e perdi a noção do que aconteceu. Não paro mais pra pensar, porque sei da dificuldade que vai ser em entender, então só sigo. Em algum momento as coisas farão sentido, eu espero.

Na última newsletter, falei sobre mudanças e os meus planos para o canal e produção de conteúdo. O frio na barriga em ver minha bagagem numérica sendo deixada de lado foi foda. Em agosto, o financeiro gritou, o profissional gritou, a vida pessoal deu uma sacudida forte. Entrei na montanha russa sem ajeitar o colete de segurança, assim tive que segurar bem forte. Adiciona uma tempestade junto, só pra aumentar a adrenalina. E ainda não acabou o percurso.

Os primeiros dias foram regados a insônia, taquicardia, aquela dorzinha na boca do estômago e o fluxo de ar desregulado. As crises de ansiedade começaram a aparecer com mais frequência e eu fiquei perdido, né. A falta de controle tem dessas. Concentrar-se na respiração, porque naquele momento é a única coisa que temos controle, ajuda a não surtar.

O canal novo está no ar, longe da minha meta, mas com um conteúdo que me deixa feliz. Nunca acreditei tanto no meu material. Conto com a sua ajuda para fazer ele se espalhar, recomendar para amigos, dar like e compartilhar nas redes. <3 É super importante, porque causa o efeito do boca a boca e a gente não tem a dimensão do quanto isso ajuda.

Pedir ajuda é complicado, mas há meses já larguei essas cerimônias de lado. Adoro ver o tempo deixando minha cara mais dura. Não estou fazendo nada errado, né Amanda Palmer? Tem textos e fotos novas também, lá no blog e no flickr.

As tempestades na montanha russa vão continuar até o gatilho ter um equilíbrio. Porém, no final das contas, a gente não tem medo da tempestade, mas sim do que vai sobrar depois que ela passar.

PS: Eu ainda não sei o tom certo dessas newsletters, mas acabei percebendo que elas são mais pessoas e diretas do que as crônicas no blog e cruas do que os vídeos no canal. Espero que não se importem.

Beijos,
Luan Felipe.

Esse texto faz parte da newsletter.
Você pode clicar aqui para saber mais e assinar.